Todos os dias 44 pessoas são flagradas dirigindo sem habilitação em MS

Jovem sem habilitação morreu após pegar moto do pai escondido na madrugada desta segunda-feira (24)

Condutores sendo fiscalizados durante blitz. (Foto: Gerson Walber/ Arquivo)

Com apenas 17 anos, Daniel Pontes Contenção, perdeu a vida em acidente de trânsito na madrugada desta segunda-feira (24). Estava conduzindo uma moto, mas não tinha CNH (Carteira Nacional de Habilitação).

Dados oficiais mostram que o adolescente não foi exceção ao a se arriscar pelas ruas sem a documentação correta. Por dia, em média 44 motoristas são flagrados dirigindo sem habilitação no Estado, colocando em perigo a própria vida e dos demais no trânsito.

O número é baseado em estatísticas do Detran (Departamento Nacional de Trânsito em Mato Grosso do Sul), que mostram autuações de 16.057 motoristas por dirigirem sem o documento, durante o ano passado, no Estado. A infração foi a mais cometida no trânsito no ano passado, é comum e causa acidentes.

Segundo o BPTran (Batalhão de Trânsito da Polícia Militar), pelo menos, 15% dos imprevistos de trânsito em Campo Grande, envolvem motoristas sem habilitação. O desrespeito a lei neste sentido também ocupa o topo da lista de registros do batalhão. Somente neste ano, os policiais militares autuaram mais de 1058 condutores por dirigirem sem permissão.

“É um comportamento que assusta, principalmente porque não faltam campanhas de conscientização”, considera o comandante do Batalhão, tenente-coronel, José Amorim Longatto.

Conforme o comandante, um fator que influencia na falta de documentação e é argumento dos motoristas, quando flagrados, é o custo da CNH. Atualmente, o valor médio para se tornar um condutor habilitado, na categoria AB, é de R$ 920 a R$ 1800 no Estado.

Acontece que muita gente que tenta se livrar do custo da legalidade, cai no prejuízo da imprudência. A multa para o condutor flagrado dirigindo sem habilitação é de R$ 880,41, segundo o BPTran.

Além de pagar multa, o motorista fica impedido de tirar habilitação, além de que pode responder criminalmente pela ação, caso se envolva em algum acidente com vítima. “As pessoas tem dificuldades com as despesas pessoais e colocam isso (CNH) em segundo plano. Mas, esquecem que isto é uma negligência e irresponsabilidade e coloca em perigo a vida de muita gente”, diz o comandante.

Para evitar que mais condutores circulem por ai sem o documento e promover a conscientização de todos, o BPtran realiza campanhas educativas e blitzes nas ruas da Capital. Ações que são realizadas pela PM em todo o estado, mas que parecem não estar surtindo tanto efeito, já que o número de pessoas tirando a 1ª habilitação vem caindo no Estado.

Enquanto em 2014, 40.857 adquiriram a 1ª habilitação, em 2016,34.030 conseguiram tirar o documento. Neste ano, foram 7.424 novos registros.

Vítima da imprudência – A falta da habilitação faz vítimas. Em janeiro, condutor de 26 anos, sem CNH (Carteira Nacional de Habilitação), causou acidente com duas vítimas, na Avenida Doutor Nasri Siufi, no Jardim Tijuca, em Campo Grande.

Conforme boletim de ocorrência, o motorista seguia em um veículo Fiat Uno, na Rua Cachoeira do Campo, quando ao fazer conversão à esquerda para entrar na preferencial Nasri Siufi colidiu com o Honda City, conduzido por um homem que tinha mais duas pessoas como passageiros.

Ainda conforme registro policial, as vítimas que sofreram ferimentos leves, foram socorridas pelo Corpo de Bombeiros à Santa Casa. Os dois veículos ficaram danificados.

Jhonnathan Chrystopher Magalhães Cruzariolli, chegou a ser socorrido, mas morreu na Santa Casa. (Foto: Reprodução/ Facebook)Em março, um motociclista de 22 anos morreu após bater a moto que conduzia contra uma árvore e um poste. Ele não tinha CNH (Carteira Nacional de Habilitação) e estava com os documentos da moto vencidos. Jhonnathan Chrystopher Magalhães Cruzariolli, chegou a ser socorrido, mas morreu na Santa Casa. O acidente ocorreu na Avenida Mato Grosso, em frente ao Hipermercado Walmart, em Campo Grande.

Conforme o BPTran (Batalhão de Polícia Militar de Trânsito), a vítima seguia em uma motocicleta Yamaha Fazer no sentido Ceará, quando por algum motivo que ainda será investigado, perdeu o controle da direção e bateu em um coqueiro e um poste de energia elétrica.

Estudante Daniel Pontes Contenção, 17 anos, morreu em acidente de trânsito após pegar a motocicleta do pai escondido. (Foto: Reprodução/ Facebook)

Já nesta segunda-feira (24), o estudante Daniel Pontes Contenção, 17 anos, morreu em acidente de trânsito após pegar a motocicleta do pai escondida. O fato aconteceu por volta de 1h30 desta segunda-feira (24), na Avenida Guaicurus, na região do Jardim Itamaracá, região sul de Campo Grande.

Conforme o delegado Cléverson Alves, a vítima seguia em uma motocicleta Biz ao sentido bairro/centro, quando por algum motivo que ainda será investigado, bateu a roda no meio-fio, perdeu o controle da direção, colidiu na guia da rotatória e foi arremessado a quase 15 metros.

Mesmo usando capacete, a pancada foi forte na região da cabeça. O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado e ainda tentou reanimar a vítima, mas sem sucesso. O adolescente morreu no local.

O pai dele relatou à polícia, que estava tomando banho quando o filho saiu com a motocicleta. Ele disse que ainda tentou ir atrás para impedir que Daniel saísse, mas não conseguiu alcançá-lo. O garoto também não tinha habilitação.

FONTE: https://www.campograndenews.com.br/transito/infracao-comum-a-cada-dia-44-sao-flagrados-dirigindo-sem-cnh-em-ms

Deixe o seu comentário

Você deve estar logado para comentar.